Uma ressalva

Apesar de considerar valiosas e úteis a maioria das publicações anteriores a agosto de 2015, as quais remontam nove anos de dedicação a este trabalho, a partir da mencionada data creio ter alcançado maior compaixão do Pai das luzes, o qual creio ter transformado minha forma de ver e pensar a vida e as pessoas, o que com certeza resulta numa considerável mudança na linha editorial deste blogue. Ressalto este divisor de águas para alcançar melhor compreensão dos leitores, especialmente dos que professam esta mesma fé, para que não tomem por mau testemunho ou exemplo as convicções que integram este processo de crescimento através dos anos, nos quais venho compartilhando aqui e em outros blogues, para principalmente acrescentar algo aos leitores, salvo quando por vezes desabafei nestes, o que faz parte do processo.

Do vosso ainda falho,
Igor

Anúncios

Sobre nós e mais nada 171

Anelo pelos momentos nos quais meus próximos vêm como amigos, e não mais como senhores: menos dispostos a serem servidos, acompanhados, ouvidos e apoiados, e mais inclinados à união.

De cima para baixo 98

Somente o Cordeiro faz sentido.

O Filho é a expressão humana e inteligível do Pai, sendo também o perfeito reflexo da sua luz, sentido para toda vida.

Aprendi 23

A aquisição de conhecimento aprimora o poder de decisão, mas se não aprimora a prática moral, o senso de justiça e compaixão do indivíduo, compara-se a colecionar ferozes e fiéis cães empalhados.