Fruto do infinito

Posso ser somente
tudo que me cerca,
tudo que me entra
para morar em mim:
digo sim, ao Deus
que nunca desiste
e aos seus amores;
erros meus
de quando esqueci
ou fugi
de quem sou agora,
embora um passado
a cada segundo
que brinca comigo:
batimentos,
sentimento
e algo importante
de fato.

Posso ser quem passou
e transpirou grandeza:
homens que prantearam
com sonhos, a desonra
dos outros, um aperto
no peito costurado,
no punho atado por
pecados sem iguais
e mais tantos meus,
que por desculpa boba,
por enganos e anseios
firo a alma em paz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s