Esconjuro

Meus primeiros anos
passei na escuridão:
não encontrei a mão
do opositor,
mas o fedor
de tanta indignação
contra o ser humano,
que procurei morrer.

Agora que sabe um pouco
do que sou feito por dentro,
não perca mais do seu tempo
sangrando em meus muros.

Ao calor da claridade,
que dilata meus olhos
e sonhos de igualdade,
meu apreço e gratidão.

Não aceito meio abraço,
nem meia aceitação:
não recolei os pedaços
meus, para aceitar
a sua louca ilusão.

Suma daqui,
foge ainda
cedo:
medo
para longe,
seus dedos
para nunca
mais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s