Em defesa das pessoas simples

Ela chegou com pedras, metais e poder,
me disse o que era certo fazer
para obter a remissão,
a salvação do meu ser.

Ela mentiu, erigiu um trono,
e enfrentou o dono,
supondo ser mundano o reino
do mais perfeito querer.

Ela não se deu por mim,
não me comprou com sangue,
mas com sangue de inocentes se embriagou,
homicida do princípio ao fim,
assombras cada cidade em que vou.

As pessoas mais simples e puras,
procuras perverter,
procuras convencer
de retidão, de abnegação.

Tua loucura e nudez ficarão evidentes,
quando de repente,
for desmentida sua posição.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s