De cima para baixo 121

Sempre que a esperança se vai, nosso Rei a guarda consigo, para que, quando olharmos novamente em seus olhos, nos seja devolvida.

Anúncios

Rosh Hashaná!

Ao gosto, a angústia já vai,
o Casamento se aproxima:
dos olhos do Pai
somos a menina
que tem fome de justiça,
que suspira pelo abraço
de quando a realidade de lá
surpreenderá sonhos de cá.

Sobre nós e mais nada 171

Anelo pelos momentos nos quais meus próximos vêm como amigos, e não mais como senhores: menos dispostos a serem servidos, acompanhados, ouvidos e apoiados, e mais inclinados à união.

Ode ao reinício

Surpresas boas me surpreendem mais do que as más:
enquanto noticiam tantos desastres, creio na paz
de não mais haverem as hierarquias de opressores,
construtores de mentiras desmedidas.

Enquanto o mundo dos homens piora,
minha alma implora o abraço,
o afeto e a honestidade esquecida.

A esperança me pediu em casamento,
e a poesia me vestiu para alertar:
toda injustiça há de queimar,
todo engano há de, vacilante,
se afogar no lago flamejante
de mágoas que fez,
e em vez de poderosamente dominar,
a maldade,
com todos os seus muitos recursos,
sucumbirá.